sexta-feira, novembro 16

Estranha



  
  Ela não gosta de sair, não gosta de festas, não gosta de gente que se reúne pelos mesmos motivos fúteis. Ela é estranha, pertence a uma raça em extinção. Ela não entende o mundo, a vida e a sociedade. É fora do padrão de qualidade.
  Não gosta de rótulos, nem de julgamentos. Não quer receber conselhos, sabe se virar. Ela é estranha, ela é menina. É tão inocente às vezes, e em outras parece nem ser desse mundo. Ela é complicada, gosta de ficar sozinha.
  Ela é o inverso, o contrário, o oposto de todo mundo. Ela é esquisita, não é divertida e tem nojo de tudo e de todos. Não entende as regras e então prefere ficar sem jogar.
  É quieta e tem um mundinho só seu. Não sabe fingir para agradar e só recebe julgamentos em troca. Mas ninguém mora dentro da sua cabeça, ninguém nunca desvendará tudo isso. Só ela se conhece, só ela sabe porque prefere assim, só ela sabe porque é assim. Ela gosta de ser assim. Já se acostumou. Então não julguem, não tirem suas conclusões.
  Ela é pequena mas sabe pensar grande. Ela é um poema jogado no fundo de uma gaveta qualquer. Ela é menina tentando ser mulher. Ela é um abismo e uma escuridão. Ela é bagunça e confusão. Ela é um poço de solidão. Ela é estranha mas tem coração.

Aurora Boreal

2 comentários:

Heloisa Moraes disse...

"ela é bagunça e confusão. Ela é estranha mas tem coração"

que lindo texto!

Jhosy . disse...

Uau!
Trouxe-me a sensação de que li algo escrito mesmo para mim!
Adorei o texto,
o mundo que existe dentro de nós quase sempre confunde e desperta julgamentos por parte de quem vive no mundo externo.

Jhosy
http://meninamsicaeflor.blogspot.com.br/

Postar um comentário

Antes de mais nada quero agradecer por me visitar, e por ler.
Eu realmente espero que tenha lido, gostado e se encontrado em alguma linha ou em alguma palavra. E se isso aconteceu ficarei muito feliz se você contar pra mim. Conta?! (:
Obrigada mais uma vez e volte sempre!
Beijos, Aurora.